Resenha: A Playlist de Hayden – Michelle Falkoff

 

a-playlist-de-hayden_capa4_1.jpg.1000x1353_q85_crop

Titulo Original: Playlist for the Dead | Páginas: 288| Editora: Novo Conceito| Ano: 2015.

Olá lindos e maravilhosos!

Acabei de ler A playlist de Hayden. Estava com ele na estante fazia um tempo, só que me faltava o tempo para ler, até que deu e confesso que ele está na lista de preferidos.

A história é sobre dois melhores amigos, Sam e Hayden.

Sam é o tipico garoto nerd, que gosta de vídeo game, livros, filmes, músicas e seu único amigo é Hayden.

Hayden também faz o garoto nerd, que gosta de todas as coisas que Sam. Até o dia que Sam encontra ele morto em uma manhã, deixando apenas um bilhete e uma playlist com 27 músicas para Sam.

O livro começa assim, Sam encontrando Hayden em sua cama na manhã seguinte da festa que foram e algumas coisas não deram muito certo. E toda a história gira  em torno disso, Sam tentando entender o porquê o amigo se suicidou.

Sam mora com a mãe e a irmã Rachel, que segundo Sam, não é a melhor irmã, mas nós vemos que ela é super bacana. Sam não gosta muito do pai, pois ele o deixou quando tinha apenas oito anos.

Logo após a morte de Hayden, Sam começa ter visões de seu amigo e falta de sono ainda tentando quebrar a cabeça e entender a playlist que Hayden deixou pra ele.

Em meio a todos os problemas que tem acontecido, ele conhece Astrid, que alega ter sido amiga de Hayden e logo Sam se apaixona por ela. Mas assim como Sam, Astrid também tem seus segredos.

“Aquele nervosismo todo era porque ela estava afim de mim. Eu não conseguia acreditar naquilo. Só que la estava ele, um momento pelo qual eu tanto esperei. Eu tava tão tenso que as minhas mãos tremeram um pouco quando puxei o guardanapo do dispenser sobre o balcão, me inclinei na direção de Astrid e limpei um pedaço perdido de batata cheio de ketchup em seu queixo.

– Assim fica melhor- eu disse e, então finalmente, a beijei.”

No livro também temos a “Trifeta do Bullying”, que consiste em três babacas que perseguiam Hayden. Jason, Travor e Ryan, irmão de Hayden.

Me envolvi bastante na leitura, tentando desvendar junto com Sam os segredos de Hayden e o porquê ele tinha feita aquilo. Ao mesmo tempo que a Trifeta do Bullying tem sofrido ataques e claro que todos veem Sam como o maior suspeito. Até ele mesmo começa a acreditar que ele tenha mesmo feito algo contra eles.

No desenrolar da história, ouvindo todas as musicas da playlist, lendo conversas antigas que Hayden tinha nos jogos online, ele  vai juntando ponta a ponta da história, confrontando pessoas no meio do caminho, até realmente descobrir o que aconteceu com seu amigo na noite da festa.

Sam esteve o tempo todo questionando todas as suas ações, sua amizade com Hayden e o que ele exatamente sabia sobre ele, porque pelas coisas que descobria, sabia muito bem que seu amigo era outra pessoa. Uma pessoa que ele não conhecia.

“Não acho que algum dia deixarei de me culpar pela parte que me cabe, mas de alguma maneira é mais fácil culpar a mim mesmo do que qualquer outra pessoa, e talvez algum dia seja possível que eu pegue um pouco mais leve comigo mesmo. Se nenhum de nós é cem por cento responsável, então é bem provável que nenhum de nós pudesse impedir o que aconteceu, mesmo sabendo que era isso que deveríamos ter tentado fazer. E provavelmente precisamos aceitar isso, assim como precisamos aceitar que o Hayden não vai voltar.”

Além do livro ser sobre mistério, tem uma pitada de romance, mas não aquele romance “não vivo sem você”, é aquele leve, bonito e gostoso de ler. Temos também o drama familiar envolvido e questões sociais sendo discutidas, inclusive o bullying que é um assunto bem presente na maior parte do livro.

A Playlist de Hayden não tem muitos diálogos, apenas algumas lembranças de Sam e a maior parte os pequenos diálogos com Astrid, mas que foram muito bem escritos. e de fácil entendimento.

Me apaixonei por muitos dos personagens do livro, inclusive os secundários. Mas o meu amor mesmo foi por Sam, que é todo fofo e que tem o melhor gosto musical de todo o universo. Sério, muitas das músicas que ele ouvia durante o livro e inclusive muitas das músicas da playlist eu já conhecia, mas também tinha as que não tinha ouvindo e que hoje estão na minha playlist. Em quanto eu lia o livro percebi que tinha muitas coisas em comum com o Sam, digo em relação a músicas, filmes, enfim, essas coisas.

Michelle Falkoff colocou muito bem suas ideias e seu ponto de vista de cada assunto, como as questões sociais como já havia dito e o romance totalmente saudável explorado por Sam e Astrid (casal mais lindo <3)

Mesmo que eu tenha imaginado um final totalmente diferente (diferente mesmo), foi um bom final e ficou aquele gostinho de quero mais, mais e mais.

É um bom livro e eu classifico ele na lista do “Todos Devem Ler”, não importa a idade, é totalmente saudável e em partes bem educativo.

A Playlist de Hayden é um livro sobre amizade, amor e principalmente sobre confiança. Coisas essenciais na vida de uma pessoa.

Beijos 😉

Resenha: Naomi & Ely e A Lista do Não-Beijo

   Olá lindos e maravilhosos!naomi e ely

Titulo Original: Naomi and Ely’s No Kiss List | Páginas: 256| Editora: Galera Record| Ano: 2015.

O livro conta a história de Naomi e Ely e a perspectiva do amor e amizade  sob os olhos de vários personagens.

Tudo começa da seguinte forma: Naomi é apaixonada por ser melhor amigo gay. Eles tem A Lista do Não-Beijo onde estão os nomes de todas as pessoas que eles estão proibidos de beijar. 

Tudo está indo as mil maravilhas quando Ely confessa ter beijado Bruce, namorado de Naomi.

Depois disso e a não aceitação de Naomi, eles entram em uma certa guerra levando os moradores do prédio onde moram junto em toda a bagunça deles.

Falando do prédio, aquele lugar não é nem um pouco parecido com os prédios normais. Além de ter Gabriel (o porteiro muito gato) eles tem, bingos as madrugadas e clube de pessoas com insônia. Adorei esse prédio!

Enfim, voltando a história, Naomi não aceita de forma alguma a relação de Ely e Bruce, pois acredita que o destino deles é ficarem juntos e terem um casamento incrível, uma casa incrível e filhos incríveis.

Naomi é uma garota linda, extremamente forte, cheia de atitude, não se importa com o que os outros pensam (com exceção a Ely), mas totalmente vadia. Pelo menos é o que ela quer que as pessoas vejam, pois ela tem um coração enorme, já passou por muitas coisas na vida e sempre com Ely ao seu lado e também tem vários medos. Mas, no final do dia é sempre ela e sua mãe.

Já Ely poderia ser artista de cinema ou uma Drag Queen famosa se quisesse. Autêntico, espontâneo, estiloso e seguro de si. Teve muitos namorados e corações partidos antes de se aproximar de Bruce e o único amor que ele é capaz de deixar transparecer, é seu amor por Naomi.

Eu até poderia falar de Bruce e de toda a sua culpa na briga de Naomi e Ely, mas o foco principal não é esse e sim a lealdade e a amizade dos dois ao longo de toda a vida, pois como diz Ely em certa parte do livro “Dizer que é amigo de alguém, é fácil. Ser um amigo de verdade, não.”

A amizade deles teve muitos altos e baixos ao longo dos anos, mas o que os mantinham unidos era esse amor um pelo outro. 

Ely pode sim ter traído a confiança de Naomi quando beijou Bruce, mas a verdade sobre tudo isso é  o fato de que Ely  estava quebrando todas as fantasias de Naomi ao se apaixonar por Bruce.

“Mentiras são mais fáceis de processar. Menti para Ely dizendo que não tenho o menor problema com alguém ser gay. E não tenho mesmo. Exceto no caso de Ely. Ele deveria ser meu, no melhor estilo Felizes para Sempre, marcados pelo destino. Menti para Ely dizendo que entendia, é claro, que o verdadeiro destino dele era o glorioso reinado cor-de-rosa, e que aquilo esteve óbvio o tempo todo”.

“Não existe alma gêmea… e quem gostaria que existisse? Não quero ser metade de uma alma compartilhada, quero a porra da minha própria alma”

“É uma grande mentira dizer que só existe uma pessoa com quem se vai ficar pelo resto da vida. 

Se tiver sorte – e se esforçar bastante -, sempre haverá mais de uma”

Foi minha primeira leitura de David Levithan, mesmo sendo uma co-parceria com Rachel Cohn com quem já havia trabalhado em “Nick&Nora” (não li, mas já está no topo da lista).

A forma como abordaram os diversos assuntos com foco na amizade e a homossexualidade foi incrível. Escrita leve, divertida me tirando muitas risadas e sempre direto ao ponto sem deixar de falar de alguns momentos de pura reflexão sobre os assuntos, causando sempre um impacto diferente e fazendo com que leituras assim seja minhas preferidas.

Mesmo gostando muito da escrita teve alguns momentos que fiquei confusa na narrativa de Naomi, pois é utilizado alguns símbolos, mas não impediu o entendimento ao longo da história.

Cada capítulo é narrado por um personagem diferente como disse lá em cima, nos proporcionando ter uma ideia do que cada um está pensando no meio de toda a confusão.

Me apaixonei por cada personagem (até aprendi a gostar de Naomi em certo ponto). Todos tiveram grande importância no desfecho e confesso que gosto de livros assim, onde nenhum personagem seja esquecido.

Como primeira leitura de Levithan e Cohn, não tenho com o que comparar, mas deixo claro que foi uma das minha melhores leituras deste ano.

Ps: Lá em cima falei de Gabriel. O capítulo dele é um dos meus preferidos pois tem uma playlist com músicas incríveis 😉

Ps²: Vai ter filme! Estrelado por Victoria Justice e Pierson Fode. Até onde sei (me desculpem se eu estiver errada!) vai estrear dia 17 de julho.

Fotinhas extras para vocês 😉

Naomi-Ely-e-a-lista-do-não-beijo-2

Naomi1

Beijos!

Leituras de junho/2015

Olá lindos e maravilhosos!

Hoje é sexta-feira que começou linda e maravilhosa e o post é curtinho. Fiz algumas leituras durante o mês (achei que tinha sido mais :3) e com isso venho mostrar para vocês quais foram.

Príncipe Mecânico – Cassandra Clare Principe-Mecanico

Onde encontrar: Submarino|Saraiva|Amazon|Estante Virtual

Eu fiz uma resenha de “Anjo Mecânico” e não fiz a de “Príncipe Mecânico” e estou lendo “Princesa Mecânica”, então aguardem que farei a resenha sim! 

E apenas para constar, meu amor pelo o Will cresceu ainda mais depois desse lindo e maravilhoso livro ♥

Isla e o Final Feliz – Stephanie Perkins ISLA_E_O_FINAL_FELIZ_1431632854450316SK1431632854B

Onde encontrar: Submarino|Saraiva|Amazon|Estante Virtual

Fiz resenha desse lindo semana passada e lá eu falo de todo o meu amor por ele .

Ugly Love – Colleen Hoover UGLY_LOVE_1399342615B

Onde encontrar:  Saraiva| Amazon| Livraria Cultura

Esse não tem resenha, mas merece muito uma pelo simples fato de existir. Eu já até falei um pouco dele no Especial do Dia dos Namorados que fiz aqui no blog 😉

Como eu Era Antes de Você – Jojo Moyes 9fa41bf7ae7df66ba33fba1e7d82ea4c

Onde encontrarSubmarino|Saraiva|AmazonEstante Virtual

Não falei dele em momento algum, mas dizer que eu estou ansiosa para o filme no ano que vem é pouco. A História é maravilhosa, emocionante, triste e eles são lindos. Estou com muita expectativa sobre Sam Claflin e Emilia Clarke em seus respectivos papeis (cruza os dedos pessoal)

Um Caso Perdido – Colleen Hoover Capa

Onde encontrar: Submarino|Saraiva | Amazon|Estante Virtual

Colleen Hoover é deusa e muita gente sabe disso e concorda. “Um Caso Perdido” é uma mostra da espetacular capacidade dela de nos fazer chorar.

Sem Esperança – Colleen Hoover 4UImd0d

Onde encontrar: Submarino|Saraiva|Amazon|Estante Virtual

“Sem Esperança” não é uma continuação de “Um Caso Perdido” é apenas a perspectiva de Holder sobre toda a situação. Os dois livros são ótimos e se eu chorei em “Um Caso Perdido”, em “Sem Esperança” não foi diferente.

While It Lasts – Abbi Glines whileitlasts2

Onde encontrarSaraiva|Amazon|Livraria Cultura

Eu só tinha lido “Paixão Sem Limites” (e os outros da série) da Abbi Glines e gosto dela de verdade, mesmo sendo bem clichê, gosto da escrita dela e dos mocinhos dela porque eles são lindos, maravilhosos e intensos e para quem não sabe, eu sou fã de coisas intensas.

Os Delírios de Consumo de Becky Bloom – Sophie Kinsella 1

Onde encontrar: Submarino|Saraiva|Amazon|Estante Virtual

Falei dele no especial do dia dos namorados também e de todo o meu amor pela Becky. Usei a capa do filme mais uma vez porque eu não gosto da capa dos livros. (DESCULPA SOPHIE ♥)

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista – Jennifer E. Smith Download-A-Probabilidade-Estatística-do-Amor-A-Primeira-Vista-Jennifer-E.-Smith-em-epub-mobi-e-pdf

Onde encontrar: Submarino|Saraiva|Amazon| Estante Virtual

Terminei de ler ele no dia 30 de junho e fiquei me perguntando: é possível amar tanto um personagem como eu amo o Oliver? 

Pois é, ele é lindo e maravilhoso e conquistou meu coraçãozinho, na verdade toda a história conquistou meu coração e mesmo a Hadley sendo uma chata devido as circunstancias ela deixou a história toda ainda mais linda com sua atitude.

Essas foram as minhas leituras no mês de junho. Foi bem mamão com açúcar, mas eu amo mamão com açúcar, então me deixe ser feliz!

Pretendo fazer isso todos os meses a partir de agora. Aguardem as leituras de julho (que por um acaso já começou bem linda e maravilhosa).

Beijos!

Resenha: Isla e o Final Feliz

ISLA_E_O_FINAL_FELIZ_1431632854450316SK1431632854B

Olá lindos e maravilhosos!

Hoje vou falar de umas das minhas autoras preferidas: Stephanie Perkins.

Segue então a resenha de Isla e o Final Feliz. Terceiro livro sobre as garotas de Perkins. Titulo Original: Isla and the Happily Ever After | Páginas: 304 | Editora: Intrínseca | Ano: 2015.

Isla é uma garota ruiva linda e maravilhosa, tímida, romântica e insegura, apaixonada por Josh e a única pessoa em que confia é seu melhor amigo Kurt. Isla é insegura por sempre achar que as pessoas merecem mais do que ela pode oferecer. Kurt é melhor amigo de Isla desde sempre, autista, inteligente, confiavel, apoia Isla em todas as suas escolhas, mas também a repreende muitas vezes pelo mesmo. Josh. Ótimo artista, um tanto introspectivo, difícil e intenso e um dos motivos de ser assim é por ter os pais em posições importantes o que muitas vezes implica na sua forma de agir, mas fora isso é apaixonado não apenas por seu trabalho que é incrível mas também por pessoas, lugares e momentos, aquele cara que sabe o que quer da vida, mas que tende a ficar sozinho depois que seus amigos terminaram o ensino médio. Bom, até Isla aparecer. A história se passa em Paris, na SOAP, uma escola para americanos na França (lembra de Anna e o Beijo Francês?), e tudo acontece no último ano do ensino médio, mas Isla é apaixonada por Josh desde o primeiro ano. Os dois nunca trocaram mais do que duas palavras nesse tempo e a única vez em que Josh tentou se aproximar, ela o ignorou (coisa feia Isla!). O Romance de Isla e Josh é um verdadeiro conto de fadas, mas contado de um jeito certo o que faz total diferença no desfecho da história. Eles passam por grandes dificuldades envolvendo passado com ex-namoradas, os pais e o futuro incerto. “Ainda fico nervoso do seu lado, sabia? — Sério? — Eu me sinto como um gigante todo desajeitado. Você parece uma boneca de porcelana. Doce, delicada, linda.”

 
“Josh senta ao meu lado. Com a testa, ele toca a minha. Em seguida, ele fecha os olhos e diz: — Isla Martin. Eu amo você. Meu universo explode. — Eu também amo você, Josh. Muito.
 

Quando em certo momento do livro você acha que já é o felizes para sempre, muitas coisas acontecem e inclusive tem participações especiais de Anna, St. ClairMeredith (Anna e o Beijo Franês), LolaCricket (Lola e o Garoto da Casa ao Lado)  o que torna o final surpreendente, com um desfecho completo. Perkins tem uma escrita ótima, leve, engraçada, rápida e de fácil entendimento. O que a torna completa. Faz com que acreditemos que histórias assim (mesmo sendo querendo ou não um pouco clichê) possa realmente acontecer. Já li “Anna e o Beijo Francês” e “Lola e o Garoto da Casa ao Lado” e amo todas elas e antes de Isla, Anna era a minha personagem favorita (continua sendo) mas Isla me conquistou muito e foi a que mais me envolveu. Confesso que a personalidade de Isla não é as que mais me agradam, mas ela é tão linda e maravilhosa, engraçada e tem um coração tão grande que é fácil se apaixonar por ela ~sem contar que ela é ruiva :3~ Enfim, é uma história linda e gostosa de ler então todos deveriam dar uma chance para Stephanie Perkins e suas meninas” (como ela mesma diz) porque elas te envolvem e te levam para um mundo incrível, cheio de possibilidades e se tornam suas melhores amigas nesse mundo. Beijos!

Cinema: A Incrível História de Adaline (The Age of Adaline)

Olá lindos e maravilhosos!

Assisti a pouco tempo esse romance fantástico e resolvi falar um pouco dele para vocês. The Age os Adaline (A Incrível História de Adaline)

Direção: Lee Toland Krieger

Produção: Sidney Kimmel, Gary Lucchesi, Alix Madigan e Tom Rosenberg

Atores: Blake Lively, Michiel Huisman, Harrison Ford, Amanda Crew, Ellen Burstyn, Kathy Baker,

Data de estréia21 de maio de 2015

“Adaline Bowman (Blake Lively) nasceu na virada do século XX. Ela tinha uma vida normal até sofrer um grave acidente de carro. Desde então, ela, milagrosamente, não consegue mais envelhecer, se tornando um ser imortal com a aparência de 29 anos. Ela vive uma existência solitária, nunca se permitindo criar laços com ninguém, para não ter seu segredo revelado. Mas ela conhece o jovem filantropo, Ellis Jones (Michiel Huisman), um homem por quem pode valer a pena arriscar sua imortalidade.”image001592097.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxxdica-de-filme-a-incrivel-historia-de-adaline-blog-do-jeito-que-da-samira-de-castro-16A história é uma Fantasia/Romance/Drama fantástico. A passagem dos anos, a solidão e o “sofrimento” de Adaline é tocante de certa forma e ter que “abandonar”, ver sua filha envelhecendo e você ficando para trás apenas com o pensamento de como isso será doloroso é chocante e por mais que a relação das duas ao decorrer do filme seja linda, a química mãe e filha ficou ótima entre Blake e Ellen, confesso que fiquei sem saber o que pensar sobre isso e acredito que nenhuma mãe mesmo na vida real conseguiria viver uma coisa dessas.

filme1776_f1

maxresdefaultIncrivelHistoriaAdaline3

O filme foi muito comparado com alguns filmes muito conhecidos como O Retrato de Dorian Gray e principalmente O Curioso Caso de Benjamin Button.

Eu particularmente não compararia A incrível História de Adaline com Benjamin Button. Tudo bem, ele sofre muito tanto por “discriminação” quanto por amo e pricipalmente por sua vida estar  cada dia mais perto do fim e de fato pode ser comparado, pois Adaline se apaixona não só uma vez, mas duas e se vê na obrigação de fugir para sei lá, protege-los. Enfim, vi algumas críticas onde colocam o caso de Benjamin e Adaline como “fardo”. Não considero Benjamim como fardo pois ele sofre com a passagem do ano, mas um dia isso acaba e o sofrimento vai junto, Adaline por outro lado, sofre e continua sofrendo por que ela simplesmente fica para trás de tudo linda, jovem e triste. ~o que é frustrante, talvez~

Não posso deixar de falar de Blake Lively. Acompanho sua carreira desde A linda e maravilhosa Serena van der Woodsen de Gossip Girl e se ela não for uma das loiras mais lindas do mundo de Hollywood eu não digo nada. Ela fez um ótimo papel como Adaline, transmitiu muito bem a paixão e tristeza do personagem, sem contar no figurino e cabelo maravilhoso de todas as passagens. Enfim, ela é linda e maravilhosa toda vida!!!

the-age-of-adaline-img03

Still-of-Blake-Lively-in-A-Incrível-História-de-Adaline-33THE AGE OF ADALINE

adaline-01

 Michiel Huisman fez um bom personagem apaixonado com toda a sua graça e carisma quando se tratava de Adaline. O que me conquistou mais no personagem que ele desenvolveu foi o bom humor e a forma em como ele abordou Adaline no começo da história e mesmo com ela tentando ficar longe, foi insistente.

02

adaline2 (1)

THE AGE OF ADALINE

Não posso deixar de falar de Harrison Ford também, que é um ótimo ator. Vamos dizer que William Jones é um homem feliz, pai de família, mas a partir do momento em que reencontra Adaline, todas as dores e frustrações do passado voltam a tona.

the-age-of-adaline-img06106552.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx adaline2105770.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxxO romance de Willian e Adaline teve bastante espaço no filme e posso dizer que achei a química deles muito mais verdadeira do que Adaline e Ellis (o que não deixa de ser linda também ok ?!). Sério, começou rápido e terminou rápido, mas as marcas deixadas para trás foram intensas demais para serem esquecidas.

Enfim, para terminar, super recomendo o filme, é uma história de amor com muitos clichês, mas não aquele clichê exagerado e chato, enredo bem elaborado, atores muito bons e personagens lindos. Vale a pena assistir e suspirar junto com Adaline.

Beijos!

#ESPECIALDIADOSNAMORADOS

Olá lindos e maravilhosos!

Hoje é dia 12/06 e muitos casais estão comemorando o dia dos namorados ou como eu gosto de dizer “Dia do Amor”. Com isso separei para vocês os meus casais favoritos dos livros. Deixando claro aqui que não pensei em começar por ordem de leitura ou por qual gostei mais.

– Muito Mais que uma Princesa (Lúcia Valenti e Ian Morre)

imagem

Foi o primeiro romance de época que li e isso faz uns 6 anos. Meu primeiro contato com um romance mais intenso. Posso dizer que Lúcia é uma mulher incrível e Ian uma pessoal adorável, daquelas que da vontade de amassar se é que me entendem. Lúcia tem um gênio forte e Ian é mais calmo e tenta sempre ter tudo em ordem. Isso foi o que equilibrou a relação dos dois e o que fez deles um lindo casal.

– Anna e o Beijo Francês ( Anna Oliphant e Étienne St. Clair) 

9788563219329 Anna e St. Clair me prenderam tanto na história que não contente de ler uma vez eu li três vezes  e com certeza vou ler de novo.
É um romance gostoso com a medida certa de romance e comédia, é aquele romance “mamão com açúcar” que uma vez na vida alguém vai ler. É lindo, muito apaixonante e vai ter convencer que Paris é 10 vezes mais maravilhosa do que já é.

– Ugly Love ( Miles Archer e Tate Collins)

UGLY_LOVE_1399342615B Ugly Love é o primeiro romance mais adulto de Colleen Hoover e espero que não seja o último.
A história de Tate e Miles pode ser sim considerada clichê, mocinha conhece mocinho misterioso, sexo casual e um deles se apaixonam e depois sofre quase o livro todo por amor para no fim viverem felizes para sempre. Quando comecei a ler sabia exatamente o que esperar do livro, só não sabia a proporção da intensidade por trás da história toda. Sério, e incrivelmente impactante e fiquei muito feliz ao saber que vai ter filme dele ano que vem *-*

– Belo Desastre e Desastre Eminente ( Abby Abernathy e Travis Maddox)

35heanc Os dois livros são a mesma história, um na perspectiva de Abby e o outro de Travis. O certo seria eu recomendar todos a lerem na ordem, que seria Belo Desastre e só depois Desastre Eminente, mas como sou uma fã assumida e se pudesse faria um fã clube para o Travis, digo leia Desastre Eminente (versão do Travis) primeiro porque ele é um dos personagens mais intensos que já li e apaixonante ao mesmo tempo.

– After (Tessa e Hardin)

Saga

Quando penso no Hardin me lembro do Travis de Desastre Eminente só que 10 vezes mais ciumento e inseguro. O Hardin é uma pessoa ótima mesmo com toda a insegurança e os problemas do passado e te cativa muito, mas ao mesmo tempo te irrita tanto e faz você querer entrar dentro do livro para obriga-lo a fazer a escolha certa. A mesma coisa é Tessa, ela é linda e incrível e quer ser independente, mas quando quer ser chata e “turrona” ela é muito chata e muito turrona. Fora todos esse defeitinhos básicos dos personagens, quando estão juntos são ótimos e mesmo com as brigas que as vezes é mais engraçada do que séria. Tessa e Hardin estão sempre no meu coraçãozinho *-*

– Perdida e Encontrada (Sofia e Ian Clarke)

perdida-encontrada Nunca tinha lido uma história igual ao de Perdida e Encontrada e digo que adorei. Considero uma comédia romântica porque imaginar uma garota do século 21 toda moderna que vai parar no século 19 é uma coisa muito engraçada. Sofia é ótima, independente e não pensa em casamento mas ama os romances dos livros. Mesmo vivendo em um mundo que não é o dela e fazendo tudo errado ela arruma um tempo para se apaixonar por Ian lindo e maravilhoso que por um acaso merecia um fã clube também ; )

– As Peças Infernais (Will Herondale Tessa Gray e Jem Carstairs)

steampunk_the-infernal-devices Única distopia da lista e o triângulo amoroso mais incrível da história das distopia, pelo menos por enquanto. Eu já expressei todo o meu amor por eles na resenha de Anjo Mecânico que fiz aqui no blog. Lógico que meu amor maior sempre vai ser do Will, mas amo o Jem também e se os três pudessem ficar juntos, eu daria todo o meu apoio.

– A Seleção, A Elite e A Escolha (America Singer e Maxon Schreave)

conheça-a-série-de-livros-a-seleção-kiera-cass-sobre-sagas-2013-facebook-capa-livros O público que já leu a trilogia é muito dividido entre Aspen e Maxon. Eu sou team Maxon até o fim. Não que Aspen não seja ótimo, até porque foi o primeiro namorado dela, mas o Maxon chega de um jeito tão incrível e tão imprevisível que não tem como não se apaixonar.

– Os Delírios de Consumo de Becky Bloom (Rebecca Bloomwood e Luke Brandon)

1 Eu vi filme varias vezes e não me canso nunca. Peguei o livro para ler agora. Notei algumas diferenças até onde parei mas a essência da Becky e do Luke é a mesma e agora vejo como os atores do filme combinam com os personagens.

– Fiquei com Seu Número (Poppy Wyatt e Sam Roxton)

fiquei-com-o-seu-numero Foi o primeiro Chick lit que li e acho que foi bom eu ter começado por ele. Para resumir tudo a Poppy é doida e o Sam é o cara chato legal se é que me entendem. Vivi as aventuras da Poppy e do Sam junto com eles e já deixo claro que daria um ótimo filme.

– A Culpa é das Estrelas (Hazel Grace e Augustus Waters)

a-culpa-e-das-estrelas-john-green Eu acho que nunca vou conseguir descrever o que sinto quando leio um livro do John. Sério, ele é imprevisível sempre e em a culpa é das estrelas não foi diferente.
O casal do livro é lindo e do filme também, mesmo eu tendo uma “birra” com a Shailene.

– Se eu Ficar (Mia Hall e Adam Wilde)

SE_EU_FICAR-209x300

Confesso que fiquei um pouco decepcionada com o final do filme quando assisti. Estava tudo tão lindo, a atuação a Chloe foi ótima e senti que ela sentiu o personagem como deveria. É uma história de adolescentes quase adultos tentando descobrir seus lugares no mundo e a intensidade dos personagens é ótima.

– Simplesmente Acontece (Rosie Dunne e Alex Stewart)

simplesmente-acontece-frente_1.jpg.1000x1353_q85_crop

Eu sou apaixonada, apaixonada, apaixonada por eles mesmo quando acho que eles são uns burros, tapados e não enxergam o que está diante deles e espera tudo virar uma bola de neve para depois querer consertar. É linda a forma que os personagens crescem juntos e amadurecem conforme os anos vão passando. Gosto muito do filme, mas prefiro mil vezes o livro e a quantidade de tempo que  se passa até poderem ficar junto e também não deixo de achar que eles poderiam ter finalmente se encontrado mais novos.

Bom, essa foi a lista dos casais fofos para o dia dos namorados. Espero que tenham gostado e quem não leu nenhum deles, procure ler porque são ótimos, lindos e maravilhosos.

Feliz Dia dos Namorados para quem comemora!

Beijo.